FAQs

Em termos simples, a Realidade Virtual é um processo de imersão proporcionado pela tecnologia com o uso de recursos gráficos. De forma prática, um terapeuta, ao usar um software instalado em um computador e o óculos apropriado, poderá fazer com que seu paciente veja cenas em formato 360º, além de escutar o som do cenário, sentindo-se realmente presente no ambiente virtual.
A Realidade Virtual pode ser usada para proporcionar relaxamento ao paciente, além de ensiná-lo a controlar sua respiração e tensão muscular. No caso de fobias, ela se torna uma ferramenta de exposição, fazendo com que seu paciente passe pelo processo de dessensibilização sistemática, ou seja, entre em contato com o objeto ou situação temida de forma gradativa.
Sim, já existem estudos na área. Por exemplo, um estudo americano fez com que 23 indivíduos se aproximassem lentamente de uma aranha virtual. Os resultados foram impressionantes: 83% viram sua fobia diminuir significativamente e alguns participantes descobriram que podiam se aproximar de uma tarântula na vida real com quase nenhuma ansiedade. Fonte: Chance, Paul. Learning and Behavior: Active Learning Edition, Cengage Learning, 2008.
Nós recomendamos o uso a partir de 8 anos, em função do processo de compreensão das crianças. Mesmo assim, cada caso deve ser analisado de forma individual, dependendo do contexto e da necessidade.